Voltar ao topo

Influência Sonora de Majora's Mask

Um ponto que nunca passa despercebido nos jogos de Zelda é sua trilha sonora. Ocarina of Time e Links Awakening por exemplo além de terem ótimas trilhas sonoras, as músicas entram como função no gameplay, isso também acontece em The Legend of Zelda: Majora’s Mask, mas além da música estar presente nesses dois pontos, ela também entra como função de criar uma atmosfera para o game e uma progressão direta que influencia no decorrer da história. 

                                           

Majora’s Mask é o jogo mais sombrio da franquia Zelda por diversos motivos: sua história, personagens e efeitos sonoros. Como teve a intenção era ser um jogo no mínimo assustador, ele precisava de uma trilha sonora e efeitos à altura de sua atmosfera sombria.

Em The Legend of Zelda: Ocarina of Time as músicas entram como função no gameplay e também na história, mas não é de uma forma tão direta: as músicas do jogo são acessos às dungeons entre outros aspectos que são muito mais ligados a gameplay do que história. Em Majora’s Mask, as músicas têm um peso tanto no gameplay quanto na história, envolvendo emocionalmente o jogador e criando um clima único, que acaba deixando a cena verossímil, como a utilização da música Song of Healing no momento em que você cura a alma de Darmani III. 

MM é marcante para muitos jogadores por diversos motivos, mas pra mim o principal foi a questão sentimental que ele consegue despertar de diversas maneiras. O jogo conquista muito disso na parte sonora em geral, como em Clock town, cuja a música vai ficando num ritmo mais acelerado e cada vez mais “acelerando” o jogador e dando uma sensação de desespero (aquela lua se aproximando também não ajuda) que o faz  ficar angustiado com a percepção de que o tempo está acabando e que precisa correr para salvar a todos. Outro exemplo é que na torre de Clock Town junto ao Happy Mask Salesman toca uma versão mais “calma” de Song of Healing, pois naquele momento o tempo não passa e o jogo não procura apressar quem está jogando.

Outro sentimento que foi recorrente na minha experiência com Majora’s Mask foi a sensação de solidão. No início Link está procurando uma amiga (Navi), logo em seguida perde a Epona e só tem a Tatl de companheira, lembrando que no início do game ela nem simpatiza muito com ele. Assim no jogo muitas vezes você tem a impressão de estar sozinho em um mundo prestes a acabar. No Woodfall temple tem pouca música, a melodia é baixa e misteriosa, há os efeitos de monstros que muitas vezes podem assustar o jogador. São efeitos simples que fazem muita diferença no clima final dessa dungeon e do game no geral. 

Majora’s Mask é um dos jogos que tem uma das trilhas sonoras mais bem construídas da história dos games. Jogos de corrida muitas vezes usam músicas agitadas para empolgar o jogador, algo comum; Majora’s precisa utilizar diversos tipos de melodias para empolgar, entristecer, apavorar, etc. Em Termina Field eles colocam uma melodia empolgante, provavelmente para que o jogador não se canse facilmente ao atravessar aquele campo andando nas primeiras vezes. Outro artificio que eles utilizaram foi algo comum em jogos de terror: a remoção das músicas. Um dos momentos mais marcantes do game é a triste história de Skull Kid, nesse momento temos apenas os sons do ambiente e nada de música, com uma forte tempestade que ajuda no sentimento de pena em relação ao antagonista do game. 

As músicas de The Legend of Zelda: Majora’s Mask não foram marcantes apenas pelas suas belas melodias e momentos na história, mas sim por uma construção magnifica, que vai desde os instrumentos utilizados em suas composições até os nomes, como Song of Healing que significa “canção da cura”. A música é utilizada para curar a alma daqueles que não conseguem descansar em paz e tem uma melodia melancólica que combina com as situações em que ela é utilizada.

                                            

Além do clima que as músicas criam, os efeitos sonoros simples também contribuem muito, como a risada do Skull kid, que é algo muito assustador, o efeito dos monstros em Termina Field e nas dungeons. Gotas de água caindo no silêncio de algumas dungeons, os gritos de Link ao se transformar em alguma raça com a máscara, ou simplesmente os passos do protagonista em meio àquele lugar vazio e sombrio que desafia o jogador naquele momento. 

The Legend of Zelda é uma série que nunca falha em sua trilha sonora, e Majora’s Mask se aproveitou deste artifício e fez uma das melhores se não a melhor experiência sonora de toda a franquia. Ele não fez a trilha sonora simplesmente para enriquecer o grandioso mundo do jogo, mas usou-a para ajudar a criar um clima sombrio que conseguisse passar os sentimentos ao jogador, objetivo alcançado pois a trilha sonora deste game é simplesmente assustadora, apavorante, bela e o mais importante, consegue criar o clima sombrio e sentimentalista que algumas cenas exigem.  Muitos jogos tentaram criar climas de terror e suspense, mas não deram tanta atenção a esse fator, colocando musicas baixas ou quase nenhuma. MM provou que é sim possível ter uma trilha sonora ativa junto a efeitos simples para criar um clima que emocione profundamente o jogador. 

Comentários

  • Popular
  • Recente
  • Enquete
Na Nintendo Direct de hoje (13/02) fechou com uma grata surp...
qua, 13/02/2019 - 21:13
Nos dias 6, 7, 8 e 9 de dezembro, São Paulo parou com a quin...
dom, 16/12/2018 - 10:55
Nessa semana, nos dias 06 a 09 de Dezembro, ocorrerá a quint...
seg, 03/12/2018 - 20:10
No último dia 21 de Novembro, o mundo comemorou o 20º aniver...
sab, 01/12/2018 - 20:40
O que mais te empolgou em Breath of The Wild?